24/10/2008

O ecoar do grito do primeiro homem primitvo nas profundas cavernas negras já anunciava um desejo. O seu corpo queria algo; tinha fome. Fome de algo. Fome de preencher seu corpo; de acalmar seus impulsos. Estas manifestações tinham que ser contidas. E no desabrochar de um grito seus impulsos se afloraram e ecoaram diante das paredes rispidas das montanhas ingremes.
Dois corpos ao longe se viam. Aquela femea se ardeu e de seu corpo se escapou particulas sublimes de desejo. Estas erupções a deixavam tremula e o seu pulsar tremulo alvoraçava o vento.

Um comentário:

metamorfosear disse...

e dai a delicia da maçã