27/10/2010

Chove em meu corpo


As nuvens colorem o céu cinzento
E A CHUVA?
O tempo muda
O sol se acalma
Gotas minimas anunciam tempestade
Mas nada
Chove na verdade
em outros riachos
Anjos que descem
e profetizam belas águas
neste nordeste árido
Palavras se misturam com imagens
Corpos se embalam
As vezes ainda sem destreza
Vão e vem
Montanha acima
Bocas que se molham ao desejo
Olhos que se deslumbram com a paisagem
enfim, a terra recebe
De imediato e inesperado
Gotas de chuva
Que descem as curvas
Enroscam no solo
E so falta clamar
Venha poeta no corpo plantar

17/10/2010

Ventania...


Espacial é alguma coisa que é. E que existe. Não é invenção, comprovamos naquela experiência laboratorial no encontro de estudos anímicos no alto da colina. Lembra das tatuagens feitas, daqueles desenhos antes elaborados nos textos enviados cheios de metáforas? E foram sentidos cada toque de alguma agulha no desenhar dos corpos juntados na linha. O doce desejo de escrever em você e você em mim é o que ficou marcado em poesias no corpo e na alma. Dizem que isto é tesão. E sabe que acreditei. Agora me desenhei nas curvas da imaginação...

02/10/2010

Que caminhio?
se o sol brilha lá fora
E se o tempo acorda a primavera.
não são todos os que a vivenciam.
Acordar a primavera
Requer a doação para que os dias
Se tornem floridos dentro de cada um.