20/10/2008



Morangos

Este é o momento
Momento de acalmar
A brasa ardeu, queimou e feriu
Pequei ao te querer demais
Nao houve limites
Somente o querer

Quis voar sem asas
Quis as nuvens sem ao menos pisar ao chão
Quis o céu e o inferno

Para serenar no alado monte
Para queimar no corpo do meu anjo
Quis demais
E na superioridade do meu querer
Sinto que é preciso acalentar os calores da minha alma
Alma fêmea, lábios tremulos de desejo
Vermelho ardente
Batom radiante
Vestidos ao vento e movimento
Ao chao...

Descobrindo mistério das peças femininas
Rodopios de uma manhã
Encaixados estavamos
No embalo ciclico

Calor, desejo de sede
Sede de amor
Fome de morangos afogueados
De cogumelo-de sangue
De me envaidecer e ser invadida
Por ti, por tu
Compondo consonancias perfeitas
Murmurando em seus ouvidos
As melodias infinitas da sua deusa das aguas

Um comentário:

metamorfosear disse...

muito significativo criatiativo generoso e outros adjetivos mais...