20/01/2010

Sinestésico mundo


Queria entender o mundo
O mundo de cores, de amores, de constelações
O que há de mistério
Onde andam seus segredos
Para sentar na areia da praia e poder decifrá-los
Queria como uma menininha com sua saia rodada
Me encantar das pequenas fadas
Me socorrer com meu príncipe
Em seu cavalo branco e fugir dos feitiços da bruxa malvada

Assim bem distante deste mundo
Na constelação mais radiante
não procuraria entendê-lo,
Mas sim construir um mundo novo
Com suas nuances próprias
Com sua brisa leve
Com seu terreno fértil
E com as pessoas que possam deslumbrar
com o encanto das palavras
só para desfrutar em cada metáfora
Os prazeres deste mundo

3 comentários:

Thiago disse...

Entender o mundo é impossível.
Acho que a satisfação está em perseguir o entendimento. A satisfação e o frustramento das coisas.
Que pena...
Mas você contruiu um mundo só seu, repleto de beldades.

metamorfosear disse...

entender? me desentendi. Mas sei que amanheci depois de uma noite de lua cheia, com perfumes de flores do mato, do ato e da gata no cio.

Teobaldo Neto disse...

Não temos o direito de entender o que nos faz feliz. Se o fizermos, entenderemos que precisamos de muito pouco para sermos felizes e talvez isso nos deixe triste.